Apresentação


 

O ingresso no Programa de Pós-Graduação em Sociologia (PPGS) rege-se pelo:

 

Regimento da Pós-Graduação da USP

Normas da Pós-Graduação da FFLCH

Normas do PPGS

 

O Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo iniciou suas atividades, no atual formato, em 1971, e, desde então, vem sendo desenvolvido pelo Departamento de Sociologia, formando alunos nos níveis de Mestrado e de Doutorado.

 

O Programa é herdeiro de uma longa tradição. Sua origem remonta às antigas Cadeiras de Sociologia da Faculdade de Filosofia, constituídas pela Missão Francesa que participou da formação da Universidade de São Paulo a partir de 1934. Títulos de Mestre e Doutor em Sociologia vêm sendo outorgados desde 1945, quando se doutoraram dois orientandos de Roger Bastide. O primeiro título de Mestre foi obtido em 1953 por Fernando Henrique Cardoso, sob orientação de Florestan Fernandes.  

                                       

Desde 1945 até dezembro de 2011, o Programa já formou 502 Mestres e 516 Doutores em Sociologia. Mesmo observando-se um período mais recente, quando o Programa já tinha feição mais próxima às formas institucionais atuais, foram titulados, desde 1971, 431 mestres e 455 doutores. Dentre esses encontra-se a parcela mais significativa da geração que viria a implantar os cursos de mestrado e doutorado hoje existentes no Brasil, responsável por desenhar e conduzir as políticas de fomento e avaliação dos cursos e programas em Sociologia, e por constituir as associações científicas e principais espaços de consagração intelectual nas Ciências Sociais. Uma vez consolidada institucionalmente a pós-graduação no campo da Sociologia, o PPGS-USP segue cumprindo o papel de farol acadêmico, notadamente pelo seu investimento sistemático no sentido de manter um patamar de qualidade à altura das melhores práticas em matéria de ensino e pesquisa em escala internacional.    

                             

O Programa tem recebido a nota máxima outorgada pela CAPES [anteriormente A, atualmente 7], desde o inicio do processo de avaliação da pós-graduação brasileira, em 1976.

 

Duas modalidades de curso são ofertadas na Pós-Graduação em Sociologia da USP: o Mestrado e o Doutorado para portadores de título de Mestre. A realização completa do curso em qualquer uma dessas modalidades compreende o cumprimento de créditos em disciplinas e em seminários, resultando na elaboração de dissertação ou tese. Para o alcance dessa sua finalidade principal, alguns objetivos específicos têm guiado a gestão do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da USP.

 

O primeiro deles diz respeito à natureza da estrutura curricular dos seus cursos. Objetiva-se que ela seja ao mesmo tempo sólida, atual e flexível, de modo a estimular a criatividade intelectual do estudante na composição do conjunto de seus créditos em disciplinas e em atividades complementares obrigatórias. O Programa almeja, ainda, o intenso engajamento dos seus alunos tanto nas linhas de pesquisa em desenvolvimento, quanto nas atividades dos núcleos e centros a ele associados, de sorte que a produção da dissertação ou tese possa se constituir num processo crescentemente talhado pelo debate intelectual sistemático.

 

As atividades discentes são realizadas sob a orientação dos docentes credenciados no Programa, que se distinguem não apenas pelo volume da sua produção e pluralidade de enfoques temáticos e estilos teóricos, mas igualmente pelo seu diálogo sistemático com o debate internacional e pelo impacto das suas linhas de pesquisa na agenda da sociologia brasileira. Assim, os atuais docentes permanentes do Programa registraram, entre 1990 e 2010, nada menos que 15 mil citações no Google acadêmico com respeito ao conjunto das suas publicações. Eles formam o maior contingente de classificados com o mais alto posto dentre os pesquisadores do CNPq, no país.

 

Esses dados revelam o cuidado do Departamento de Sociologia da USP e do PPGS no sentido de propiciar as condições para que a produtividade e o grau de internacionalização das atividades dos seus docentes mantenham-nos em perfeita sintonia com o que de melhor se produz na Ciência Social em escala internacional. Ademais, a cada semestre, o Programa trata de incorporar professores especialmente convidados, no Brasil e no exterior, que, por sua renomada competência em campos temáticos da Sociologia, possam enriquecer a formação dos seus alunos. Bem assim estimula e apóia que seus estudantes participem em eventos, no Brasil e no exterior, expondo-se ao debate de idéias que marca o nosso mundo profissional; programas de doutorado em co-tutela amparados por convênios internacionais (como o que se mantem com a Universidade de Paris-8), alem de forte estímulo às “bolsas-sanduiche”, são outras iniciativas institucionais que visam alimentar tal exposição.   

                                                                                             

A par disso, o Programa cuida de propiciar aos seus estudantes as condições de infra-estrutura requeridas para a qualidade da sua formação e produtividade do seu trabalho. Vale destacar o papel da Biblioteca Florestan Fernandes, da FFLCH/USP, o Laboratório de Pesquisa Social e o Consórcio de Informações Sociais, que facultam acesso ao mais rico acervo bibliográfico e de bancos de dados para pesquisas em Ciências Sociais disponível no país, tanto quanto o suporte técnico necessário à sua utilização.

 

Um conjunto de salas de aula, todas dotadas de modernos recursos audiovisuais, garante o desenvolvimento adequado das atividades em classe, além de auditório perfeitamente equipado para eventos comuns. O seu serviço de Secretaria e de Apoio ao Estudante é formado por funcionários experientes e capacitados.

 

A excelência das atividades no Programa de Sociologia da USP se reflete nas premiações obtidas por seus alunos, bem como na capacidade de atrair estudantes de outras localidades (do Brasil e do exterior). Cerca de 60% dos candidatos ao ingresso no Mestrado e 50% dos candidatos ao ingresso no Doutorado, no ano de 2009, provinham de outros cursos que não a graduação em Ciências Sociais da Universidade de São Paulo. Um dos alvos específicos do Programa é ampliar a diversidade do seu corpo discente, expandindo a presença desses estudantes, notadamente daqueles vindos do exterior.