Áreas de Concentração


 

Breve explicação sobre as áreas de concentração e relação de seus respectivos professores credenciados na Pós-Graduação.

 

Sociologia da Cultura

A partir da referência ao domínio da produção simbólica, que abrange as representações sociais próprias de um grupo historicamente localizado, esta área de concentração dedica-se à análise das obras e de seus produtores e consumidores; tomados isoladamente ou em suas inter-relações; seja no domínio da arte erudita, popular ou da indústria cultural, seja ainda tomando como objeto a própria vida intelectual. Os trabalhos conduzidos na área contam com diversas abordagens teóricas e metodológicas, e incluem o estudo sociológico de questões ligadas às artes plásticas, música, literatura, teatro, cinema, pensamento social brasileiro e sistemas intelectuais, para mencionar alguns temas recorrentes sem fechar outras possibilidades.

Professores

 

Angela Maria Alonso

Fernando Antônio Pinheiro Filho

Irene de Arruda Ribeiro Cardoso

Leopoldo Waizbort

Luiz Carlos Jackson

Maria Arminda do Nascimento Arruda

Paulo Roberto Arruda de Menezes

Sergio Miceli Pessôa de Barros

 

 

Sociologia da Educação

A área de concentração abarca o estudo das relações entre a reprodução cultural e a reprodução social, investigando as instituições e as práticas educacionais em suas articulações com outras esferas da experiência social, tanto nas sociedades contemporâneas, em geral, como, especificamente, na sociedade brasileira. Nesse sentido, engloba pesquisas sobre a história dos sistemas institucionais de ensino, a constituição do sistema educacional no Brasil, a experiência acadêmica no Brasil moderno e contemporâneo, a educação na teoria sociológica, as relações entre a escola e as classes sociais, as políticas educacionais, as representações acerca da escola e da educação, os espaços e sujeitos de práticas educacionais externas à escola nas sociedades modernas. Explorando as dimensões sociais, políticas e culturais da educação, os estudos desenvolvidos no âmbito desta área dialogam com outros temas de pesquisa sociológica, como o trabalho, a juventude, a ciência, a cultura e a democracia.

Professores

Maria Helena Oliva Augusto

Sylvia Gemignani Garcia

 

 

Sociologia Política

Esta área de concentração agrega investigações sobre a estruturação, organização ou transformação do poder político e a respeito de práticas coletivas, institucionalizadas e não-institucionalizadas, de contestação, transformação, conquista ou exercício do poder, seja em sociedades nacionais seja nos âmbitos supra ou internacional. Deste modo, embora o Estado seja um dos elementos nucleares das investigações da sociologia política, ela focaliza também a formação e as práticas de atores coletivos não-institucionalizados em relação ao Estado, em espaços públicos nacionais ou em espaços supranacionais ou internacionais; ademais, cabe no seu âmbito o exame da própria constituição destes espaços.

Professores 

Angela Maria Alonso

Antônio Sérgio Alfredo Guimarães

Brasílio João Sallum Jr.

Eva Alterman Blay

Francisco Maria Cavalcanti de Oliveira

Glauco Arbix

Marcos César Alvarez

Paula Marcelino

Sedi Hirano

Sérgio França Adorno de Abreu

Ruy Gomes Braga Neto

Vera da Silva Telles

 

 

Sociologia da Religião

É tradicional no Departamento de Sociologia, remetendo-se ao antigo Departamento de Ciências Sociais e à obra de Roger Bastide. Enfoca tanto as instituições religiosas na sua pluralidade – igrejas católicas e protestantes, orientais tradicionais e recentes, centros espíritas, terreiros de candomblé, de umbanda e assemelhados, circuitos esotéricos - quanto as formas populares de sua expressão, como o catolicismo rústico, as diversas formas de pentecostalismo, além dos cultos afrobrasileiros já referidos. A área não descura também dos movimentos religiosos leigos, como os messiânicos tradicionais e os carismáticos atuais, entre tantos outros. Por fim, não se restringe apenas ao estudo dos fenômenos religiosos em sua especificidade, mas contempla também suas interfaces com os recortes de gênero, faixas etárias, classes sociais, da participação política de seus agentes, etc.

 

Professores

José Reginaldo Prandi    

Ricardo Mariano

 

 

 

Sociologia do Trabalho

Os docentes engajados nesta área desenvolvem pesquisas sobre práticas, relações e identidades sociais no trabalho, recobrindo várias vertentes do campo, a saber: formação da classe trabalhadora brasileira; instituições do trabalho e sua transformação histórica; inovação tecnológica, novos processos de trabalho, sua organização e gestão; relações de emprego e dinâmica dos mercados internos e externos de trabalho; experiência subjetiva nos cotidianos de trabalho; hierarquias e desigualdades de gênero, geracionais e étnico-raciais no trabalho; identidades, organização coletiva e ação sindical de trabalhadores; relações entre trabalho, transições ocupacionais e mobilidade social.
 

Professores

Francisco Maria Cavalcanti de Oliveira

Glauco Arbix

Iram Jácome Rodrigues

Leonardo Gomes Mello e Silva

Marcia Regina de Lima Silva

Nadya Araujo Guimarães 

Paula Marcelino

Ruy Gomes Braga Neto

 

 

Sociologia da Cidade

Essa área de concentração compreende (i) estudos voltados ao exame das matrizes e tradições teóricas no tratamento da cidade e da questão urbana, o estatuto da cidade nas ciências sociais de uma maneira geral e, mais particularmente, na sociologia brasileira, seus desdobramentos e redefinições no debate contemporâneo; (ii) pesquisas sobre práticas e sociabilidades urbanas, sobre processos de segregação urbana, campos de conflito e jogo de atores na produção do espaço urbano (iii) pesquisas que buscam averiguar as dinâmicas urbanas e a redefinição do lugar das cidades no mundo contemporâneo, novas territorialidades e as configurações sócio-espaciais dos processos de globalização.

 

Professores

 

Vera da Silva Telles   

Fraya Frehse

 

 

Teoria e História da Sociologia

Esta área de concentração e reflexão tenciona compreender as transformações sociais, institucionais e políticas do mundo intelectual, capazes de dar conta da gênese e da expansão das ciências sociais, em particular da sociologia. Pretende-se perseguir tal intento sem dissociar a emergência de paradigmas explicativos e conceituais dos fundamentos históricos em que se assenta a vida cultural nas metrópoles européias, nos Estados Unidos e na América Latina. A história social da sociologia é o melhor antídoto contra as categorizações de senso comum com que operam certas tradições acadêmicas da história das idéias. Além do empenho em dar continuidade à inteligibilidade dos autores clássicos – Marx, Weber, Durkheim, entre outros – cumpre conferir tratamento interpretativo privilegiado às obras e trajetórias de cientistas sociais latino-americanos, a começar pelo exame da própria tradição inaugurada pela escola sociológica paulista na Universidade de São Paulo.

 

Professores

Fernando Antônio Pinheiro Filho

José Carlos Bruni

Leopoldo Waizbort

Ricardo Musse

Sergio Miceli Pessôa de Barros